Documental Curitiba

Essência genuína | Sem poses | Sem Direção

Essas são algumas imagens curadas por mim ao longo de 5 anos de fotografia que se enquadram perfeitamente no estilo de fotografia documental de família a qual estou me apaixonando cada dia mais. Essa vertente da fotografia me aproxima da realidade e da essência das famílias. Isso faz muito sentido para mim.. 

Segundo o o fotógrafo documental de família Vinícius Matos existe três pilares básicos para esse magnífico e intrigante ramo da fotografia de família:

1. Intenção das sessões

Na fotografia documental, o fotógrafo busca contar parte da história dessa família. Seu objetivo e compromisso é maior com a memória e menor com a estética. Em termos práticos, ele precisa se conectar e fazer com que a família o acolha para que ela possa se sentir mais a vontade com a sua presença e permitindo assim que ele registre momentos do seu cotidiano.

2. Duração das sessões

Na fotografia documental de família o tempo de duração das sessões é maior que em sessões tradicionais, para que o fotógrafo tenha tempo de vivenciar esses momentos a serem registrados. Há fotógrafos que fazem sessões desde 12h até uma semana de duração. Isso vai depender do orçamento do cliente e do quão profundo o fotógrafo quer esses registros.

3. Direção

Na fotografia documental de família a direção não tem a tanta importância. Lembrando que se o fotógrafo tem mais tempo para vivenciar, observar e registrar os momentos, passa a fazer menos sentido a necessidade do mesmo de criar os momentos durante o ensaio.

Referências de fotógrafos documentais de família:

Sally Mann – http://sallymann.com/selected-works/family-pictures
Kirsten Lewis – http://www.kirstenlewisphoto.com/
Alain Laboile – http://www.laboile.com/